sexta-feira, 17 de novembro de 2017

SEM MEDO









Toca meu corpo acaricia-me
Sacia esse mel da minha boca
Saboreia essa volúpia
Que invade me deixa  louca...

Chega devagarinho
Arranca de mim suspiro
Acalma essa onda de desejos
Preenche esse corpo de beijos...
Vem
Vira-me pelo avesso
Ancora  nas curvas perigosas
Faz de mim teus pecados
Teus delírios impensados...
Vem
Escorrega lentamente no meu corpo
Pinta-me na tela sem pudor
Escancarada largada
Sou tua namorada...

Foi assim...

O meu prazer num instante caiu
Num momento de felicidade
Vi a alegria fluir para a tristeza
Ódio amor tudo incerteza...

Meus versos ricos de paixão
Transborda do prazer a dor
Uma hora me eleva
Outra me arranca o amor...

Hoje, realidade sem alegria.
Os sonhos se acabam
A cortina se fecha
O espetáculo virou ironia...


O AVESSO DE MIM..

Por fora uma embalagem comum
Não sei, pois quero que olhe meu avesso.
Louca, largada mulher carente,
Às vezes menina apaixonada- me  desconheço...

Viro-me pelo avesso vasculho a minha essência
Sou leoa faminta, meio menina um tudo mulher,
No meu eu, busco a efervescência,
O colorido da primavera ou outra  estação qualquer.

ENFIM SOU ASSIM

Dominando a calma
Polindo a tristeza
Lembrando que a maior grandeza
É a pureza da alma...


Uma hora sorriso sem cor
Um interior vazio
Vagando no frio
Abraçando o amor...


De corpo e alma efervescente
Plantando a minha verdade
Sorrindo com felicidade
Assim bem contente...

Juntando pedaços de mim
Uma hora punhados de medo
Outros mistério e segredo
Enfim sou assim...


ALFABETO DO POETA

Amar a vida sem limites
Bailar na lua – encantar-se
Caneta na mão- versos no coração
Deitar na relva- viajar
Esquecer a hora- sonhar
Filmar o pôr do Sol
Gritar bem alto
Hoje só quero poetizar
Ir além da imaginação
Jogar pra o alto a hipocrisia
Ler um bom livro
Marcar as páginas
Nomear parágrafos
Olhar de frente sem medo
Poeta sonha alto
Quer sempre descobrir-se
Rabiscando versos vivendo assim
Tranquilamente sem perseguição
Unindo o verso e uma canção
Viajar nessa melodia
Xi... Poeta  é poeta
Zomba o verso quem não conhece a poesia...